segunda-feira, 5 de fevereiro de 2007

Aida Dormindo

5 comentários:

Anônimo disse...

está muito bonito...

diário rasgado disse...

Obrigado. Sempre me reconfortou ter amigos a dormir em casa. No sofá, na cama, pelos corredores, na banheira, quantos mais melhor. E a Aida estava mesmo gira, ali toda encolhida...

josé disse...

Oi!!!
É tão bonito este desenho!
o artista é bom artista
e o trabalho está cada vez melhor

porra marco…
sempre a bater pontos

é de uma sensibilidade…
a nostalgia
e ou uma espécie de solidão
instala-se e habita o teu desenho
o teu dizer..

é muito bonito!!

Creio que reunindo estes trabalhos e alguns do Arlindo
Teríamos uma excelente exposição…

São trabalhos diferentes
mas partilham de uma densidade existencial
de uma verdade que se esconde,
nos momentos, nos gestos, nas acções, nas situações
que por serem quotidianas
são muitas das vezes invisíveis

o homem esconde sempre algo de si
tu e o Arlindo tornam-no visível


como a Maria Zambrano diz
“ (…) vai com ela e segue-a; segue a verdade, que é o que ela pede.”

O teu desenho
que consome tempo
no fazer

mostra no tempo
o essencial, o recôndito do ser
a imensidade da vida e não das vidas que ele (desenho) desenha,
que ele apresenta

entre o que esconde e o que mostra
fica, de algum modo, uma leveza
um sentir que ainda não sei definir
mas vou pensar melhor
ou melhor vou voltar a ver rever
que é o que merece o teu trabalho
até já
maia

diário rasgado disse...

Amigão! Hás de ser para sempre um optimista e um romântico! Quando um dia fizer um retrato teu já sei que vais ficar a sorrir.

Adorei, adorámos todos, a tua exposição no Mad Woman. Foi sem dúvida um dos pontos altos do ano. Parabéns!

Abraços, vemo-nos amanhã

Anônimo disse...

O ano ainda agora começou...